Total de visualizações de página

WILLIAM ANGLIN






            William Anglin nasceu no dia 21 de outubro de 1882, na Inglaterra. Morava em Stockton-on-Tees, cidade industrial, onde foi um bem sucedido diretor de uma siderúrgica e muito abençoado em sua vida material, de tal maneira que, ao alcançar os quarenta anos, se encontrava financeiramente independente, podendo passar o resto de sua vida em conforto. 
         Foi nesta ocasião que ele ouviu a chamada de Deus para o seu serviço, que veio por meio de um trecho da Palavra de Deus lido em uma reunião de oração. Eis as palavras: "É para vós tempo de habitardes nas vossas casas estucadas, e esta casa há de ficar deserta? (Ageu 1.4). 
           Era membro na Igreja em Stockton-on-Tees, e lá, foi superintendente de duas Escolas Dominicais, que funcionavam em horas diferentes. Dirigia diversos trabalhos entre crianças e uma classe para moços durante a semana.
            Em 1920 foi recomendado para a obra missionária, e em maio de 1926 chega ao Brasil tornando-se companheiro de evangelização do Missionário Stuart Edmund McNair, juntamente com os também missionários Albert Henry StorrieWilliam John Goldsmith, atuando por toda a região da Zona da Mata, região limítrofe entre os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo.
             Sr. Anglin evangelizou a região percorrendo lugares muitas vezes com difícil acesso, e muitas vezes montado no burro chamado Figurão.
            Em 1931, em Carangola-MG, comprou terras de um senhor chamado Piragibe, aumentando o terreno que fora inicialmente de Mc Nair e depois de Albert Storrie. Esse sítio ficou sendo a sede da associação cristã, e depois, construiu uma casa onde passou a residir seu sucessor, William Arthur Wood, e posteriormente, em 1967, o casal Jones e a  missionária Phyllis M. Dunning (Tia Phyllis) até a sua partida em 2013.
            William Anglin continuou e manteve o trabalho de alfabetização de crianças, atuando também como professor. Nas férias escolares costumava levar as crianças para a praia de Marataízes-ES.

             Ajudou os irmãos missionários Kenneth Jones e William Arthur Wood no aprendizado da língua portuguesa e adaptação no Brasil.



Antiga Escola em Conceição do Carangola-MG


              Despontou também como hinólogo, participando no hinário “Hinos e Cânticos” como autor, tradutor e adaptador de 63 hinos e cânticos, dentre eles, de sua autoria: “Vinde Já” (HC 103); “Seu Infinito Amor” (HC 509); e “Graças Damos” (HC 764). (Vide abaixo relação completa)
            Publicou, adaptando e ampliando a terceira edição do livro “História do Cristianismo”, de A.E.Knight, pela Casa Editora Evangélica de Teresópolis. (Hoje, publicado pela CPAD).
            Após um problema de saúde, em 1959, volta à Inglaterra para tratamento. Com muitas lágrimas deixa o Brasil dizendo: "O Brasil é a minha Pátria!". William Anglin partiu para o Senhor em 1965.

Agradecimento ao irmão Wedrey Valente Brum pelos dados publicados através da página, donde extraímos alguns dados:


 Livro "História do Cristianismo" publicado pela Casa Editora em Teresópolis-RJ


Prefácio da terceira edição


                         X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X 

Descrição de um Pregador inglês pelo interior de Minas Gerais. (Por William Angin).

                O pregador sai montado em um cavalo, levando sacos de sela de couro, contendo seu kit para a viagem. Ele é acompanhado por um irmão nativo (não carregado com qualquer bagagem) que serve como guia ou ajudante. Começa após o café da manhã e caminha até o final da tarde, viajando de vinte a quarenta milhas sob o sol tropical, sobre colinas, vales, passando por fazendas de café, atravessando florestas, cruzando riachos e rios, desviando de buracos, até cerca de quatro horas da tarde, ele chega na próxima parada. A chegada é anunciada por quatro ou cinco cães que correm como se devorassem cavalos e homens, latindo furiosamente, até que um menino pequeno vem e os ordena de volta, em que se aposentam com a cauda para baixo e reconhecem imediatamente os recém-chegados como amigos. Esta casa, digamos, é a de um trabalhador agrícola. É feito de um quadro áspero-trabalho da madeira, com paredes da argila e assoalho da argila. A mobília consiste em assentos feitos de blocos de madeira; e cavaletes com tábuas colocadas em cima servem como as melhores camas. Outras camas são feitas de esteiras de palha que será colocado no chão quando chega a hora adequada para o cansado descansar. Se o proprietário da casa está acostumado a realizar reuniões lá, ele provavelmente terá também um par de formas, e possuem uma caixa em pernas para atuar como uma mesa. A acomodação de assentos é amplificada por pranchas de repouso em blocos de madeira ou em caixas. Tendo desmontado dos cavalos (que estão desarmados, arrumados, alimentados com milho e conduzidos ao pasto por um filho da casa), nós (o Pregador e a companhia) entramos na casa e o pai, a mãe e possivelmente uma dúzia de crianças avançam para apertar as mãos, incluindo a criança de dezoito meses, enquanto o bebê, um ano mais novo, carregado por uma irmã mais velha, é trazido para estender os braços e apertar as mãos. Depois de um tempo, a cada um de nós é dado uma pequena xícara de café preto. A refeição da noite ou jantar levará cerca de duas horas para preparar, a família já jantou. A refeição consiste de três itens, feijão preto, arroz e um mingau feito de farinha de milho e chamado "Angu". Os dois primeiros são misturados com gordura de porco, e este último carece de sal. O mesmo menu serve para as duas refeições diárias. Quando tudo estiver pronto estamos convidados a entrar na cozinha, que é geralmente o maior cômodo. A lareira (Fogão de lenha) não tem chaminé, e parte da fumaça sai através de um buraco na parede, feito para esse fim; O resto vagueia sobre a casa ou sobe para o telhado e desaparece preguiçosamente. O resultado é que as vigas têm festões de teias de aranha enegrecidas, e fuligem adere às telhas de madeira. O chefe da casa dá graças pela comida, e então os convidados são chamados a subir até a lareira e ajuntar-se na coisas boas diretamente das panelas. A lareira é um longo túnel com uma placa no topo com buracos para cada uma das panelas. A madeira é o combustível e queima sob as placas. Cada um se serve da refeição sobre a placa esmaltada, e com um garfo muito macio se assenta em um bloco de madeira e sobre ele com um prato sobre os joelhos, continua a desfrutar o seu jantar. Os cães (agora amigos próximos), talvez alguns gatos, certamente um número de galinhas, e às vezes alguns porcos "encontram-se em algum prendedor".
                Antes que a refeição termine, o povo está chegando para a reunião. As senhoras vão ajudar na cozinha e juntam-se à família observando os convidados comendo seu jantar. Café é entregue em poucos copos, o que torna os convidados verdadeiramente gratos. Uma ou duas lâmpadas minúsculas são iluminadas que dão muita fumaça e uma luz fraca. Tudo vai se ajeitando para a reunião. A sala e cada parte da casa está cheia de gente, muitos dos quais têm vindo vários quilômetros. A primeira metade da reunião é tomada cantando hinos ou ensinando um novo coro até que todos estejam presentes. Todos os que chegam apertam as mãos de todos os que chegaram antes deles, sem omitir o menor, e muitas vezes repetem o processo quando vão embora. Se houver cinqüenta pessoas, cada um dos recém-chegados, incluindo o Pregador, terá que apertar as mãos cinquenta vezes. Depois da oração, para a qual todos se levantam, a pregação começa. A lâmpada dá uma luz fraca, e a fumaça dela atormenta o locutor às vezes. A atmosfera é quente e mais adequada para a transpiração do que a respiração, mas essas desvantagens são muitas vezes esquecidas quando o Pregador aquece a seu assunto. O povo escuta atentamente, o pregador tem que ser de um tipo muito simples e caseiro. Qual é o resultado? Humanamente falando, esperar que uma reunião tenha muito efeito, parece tola. É preciso lembrar que o Evangelho é o Poder de Deus, E as vidas mudadas como nosso anfitrião e outros são as provas do poder. Quando isto se realiza, sente-se que vale a pena continuar semeando a semente, levando a mensagem sobre vale e colina, regozijando-se em ser portador de "Boas Novas". A reunião termina com um hino e uma oração, e há uma pausa muito longa. Provavelmente levará cerca de meia hora antes que o último saia da casa, depois de apertar as mãos. Então o pregador é mostrado para seu quarto. Ele dorme em um colchão de palha, colocado sobre tábuas, muito curto. Chega a manhã, e o Pregador se levanta ao amanhecer. Café e, em seguida, tempo suficiente antes da primeira refeição. Esta é uma repetição de ontem à noite. Depois disso, a família "culto domestico". Para isso, acompanham o calendário de texto, que dá a referência para a porção da União das Escrituras. Isto é lido, toda a família em pé, e a passagem é comentada, e então o chefe de família ora. Os cavalos foram preparados e estão prontos, de modo que o Pregador, após uma breve oração, diz adeus à família, monta e cavalga para a próxima visita.

X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X

Relação dos Hinos e Cânticos de autoria de Willaim Anglin


HC 103 – VINDE JÁ
HC 118 – IDE, CHAMAI
HC 174 – AMO OS CORDEIRINHOS
HC 182 – BELÉM
HC 186 – O BATISMO
HC 207 – CRENTES, ORAI E VIGIAI!
HC 394 – VENHO, Ó SALVADOR, PEDIR
HC 452 – SUA GRAÇA BASTA
HC 454 – ÉS MEU AMIGO
HC 475 – ORAÇÃO
HC 509 – SEU INFINITO AMOR
HC 511 – SOFRIMENTO
HC 516 – GRAÇA SEM IGUAL
HC 585 – NÃO FOI POR NOSSO AMOR
HC 587 – RECORDAMO-NOS DE TI
HC 588 – ATÉ A CRUZ
HC 651 – JESUS, MEU GRANDE SALVADOR
HC 654 – COMO POSSO EU ESQUECER?
HC 655 – JESUS AMOR MOSTROU-ME
HC 657 – TEU SANGUE PURIFICA
HC 667 – CRISTO, MEU REDENTOR
HC 668 – TU, SENHOR, ÉS NOSSO AMIGO
HC 669 – TU ÉS DIGNO
HC 707 – GRAÇA PRA MIM
HC 754 – JESUS ME RESGATOU
HC 759 – CANTAMOS, FOLGAMOS
HC 764 – GRAÇAS DAMOS

6 comentários:

  1. Foi um grande amigo de meu pai, DARIO BOECHAT PINTO, hospedando-se em nossa casa na Mata do Valão, em Itaperuna-RJ. Levou meus pais e os outros 6 filhos para uma temporada na casa de Marataízes. Era pessoa de grande cultura e maior CORAÇÃO. Um grande pregador do AMOR! Em minha juventude, chegou a corresponder-se comigo! Suas cartas foram perdidas numa enchente! Uma pena! Eram a constante repetição de Primeira Coríntios 13, sempre com novas formas e motivações! Nos meus 9 anos, na Mata do Valão, ensinou-me a cantar o seu Hino, Lá Fora de Jerusalém!Vida devotada ao EVANGELHO DE CRISTO!Impossível esquecer sua pessoa e as lições!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Hino que ensinou-me é 133 de Hinos e Cânticos.

      Excluir
    2. Não o conheci pessoalmente, todavia sempre ouvi de meus avós algo semelhante ao que o irmão descreveu. Muito obrigado irmão pela contribuição deste testemunho detalhado! São nos detalhes, colhendo um pouco de informação de cada é que conseguimos manter e/ou resgatar nossa rica e preciosa história! O Hino 133, está entre os 63 que tem a participação deste irmão, cujo hino foi o tradutor para a língua portuguesa, porém só relacionei os de sua autoria. Mias uma vez, obrigado pela contribuição!

      Excluir
    3. Convivi com alguns dos Irmãos de nossa história! Não deixe delembrar o Irmão ADOLFO MUNIZ, que faleceu em nossa casa! Muito simples! Paupérrimo! Um batalhador do EVANGELHO! Verdadeiro PASTOR por vocação! Vivia de contribuições dos Irmãos e fabricação artesanal de laços e cabrestos! Andava muito a pé para cumprir sua missão.

      Excluir
  2. Conheci bem pouco . Eu era um detento dentro de um carcere , e recebia revistas para estudar a Palavra de Deus enviada pelos irmãos dessa obra missionária . eu conheci Jesus na cadeia , pois ouvia falar de Jesus em liberdade mas não dava crédito . Quando passei por dores de estar dentro de um carcere aí sim eu conheci verdadeiramente quem era Jesus . Olha foi a melhor coisa que aconteceu comigo ir preso , pois foi lá que conheci esse Deus Maravilhoso , esse Jesus tremendo . Por esses estudos e pela Palavra de Deus eu estou liberto em Cristo desde de 1999 até o dia de hoje e creio que é até a vinda do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo . Estou a 16 anos em liberdade louvando e glorificando o nome Santo do Senhor Jesus oh glórias . Deus abençoe a todos os irmãos que me ajudaram a chegar até aqui como o nosso Deus nos permitiu . Que o Senhor nosso Deus acrescente muitas bençãos a todos em nome de Jesus .Estou feliz por poder mexer em um computador e conhecer essa linda história desses homens de Deus que foi enviado de outro país para nos evangelizar para que naquele dia possamos estar todos juntos do Pai , do Filho e do Espirito Santo e de todos os salvos dessa terra amém . Sempre guardeia essa oração profética para mim de Jesus no livro de João 17.20,21 e creio que muitos ainda vão ouvir e crê que Jesus é o único que pode nos levar até o Pai amém A paz a todos em nome de Jesus

    ResponderExcluir
  3. Amado irmão vocês são simplesmente Cristãos?
    Romanos 16:16.
    Que a paz do Senhor seja com vocês.

    ResponderExcluir